Recentemente foi instituído o Fevereiro Roxo, campanha de conscientização destinada a incentivar o diagnóstico precoce do Lúpus, a Fibromialgia e o Alzheimer.

São três condições bem diferentes entre si, mas apresentam um ponto em comum: são incuráveis. Portanto, todas devem ser identificadas nos estágios iniciais para que seus sintomas sejam controlados ou retardados.

A campanha do Fevereiro Roxo foi criada em 2014, na cidade de Uberlândia (Minas Gerais). Seu lema é: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”, aludindo à importância de proporcionar bem-estar aos portadores de doenças crônicas.

Não existe um calendário oficial de conscientização. O trabalho geralmente é feito por ONGs e, muitas vezes, apoiado por prefeituras e governos estaduais, que promovem palestras, ações de informação sobre as doenças e até mutirões de saúde.

 

Campanha

O objetivo é permitir que os pacientes tenham uma maior qualidade de vida mesmo convivendo com alguma dessas condições. Além disso, todas as três doenças apresentam sintomas iniciais que são relativamente inofensivos.

Um exemplo disso é o Lúpus. Na maioria dos casos, o único sinal visível  é a vermelhidão na pele.

O alerta é ainda maior com a Fibromialgia, pois a fadiga e os problemas relacionados ao sono quase sempre são atribuídos ao estresse do dia a dia. Mesmo quando o paciente procura por um médico, muitas vezes acaba recebendo somente tratamentos para o cansaço, como suplementos vitamínicos, recomendação de se exercitar mais etc.

Quanto ao Alzheimer, a confusão mental e a perda da memória geralmente são atribuídas à idade avançada. Mas é importante lembrar que, na velhice saudável, o normal é a pessoa se esquecer de fatos triviais, mas continuar com aqueles que são marcantes na memória. Já o paciente com Alzheimer pode se lembrar de acontecimentos banais de sua infância e juventude, mas se esquecer de episódios importantes do último ano.

 

Odontologia também quer campanha incluída no arco íris das doenças

 

Nos últimos anos, alguns meses vêm sendo associados às cores. Teve início com o Outubro Rosa (Câncer de mama), continuou com o Novembro Azul (câncer de próstata)  e o Janeiro Branco (Saúde Mental), mas vários outros estão surgindo.

A Odontologia também está lutando para ter a sua campanha colorida. O CRO-RJ já deu apoio à criação da campanha Julho Laranja, direcionada á prevenção das más-oclusões, melhor dizendo à Ortopedia Facial e a Ortodontia Preventiva, proposta por um grupo de profissionais filiados à Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (ABOR).

A ideia surgiu em 2018 e já rendeu um Projeto de Lei, que determina o atendimento e exame clínico de más oclusões nas escolas públicas brasileiras, e estabelece que as crianças de 6 a 12 anos tenham direito a cuidados ortodônticos preventivos na rede pública, que infelizmente ainda não foi votado.