O dia 10 de maio é marcado como o Dia Mundial de Conscientização sobre o Lúpus, doença autoimune que atinge 200 mil brasileiros e que ainda é desconhecida por grande parte da população. A data alerta para orientar à busca do diagnóstico e o tratamento com brevidade.

Os principais sintomas observados em pelo menos 90% dos pacientes diagnosticados com Lúpus são cansaço, febre, perda de apetite, queda de cabelo, aftas na boca e principalmente, inflamação nas articulações. Entre os órgãos atingidos pela doença estão pele, rins, pulmões, coração e as articulações.

O lúpus não é contagioso, ainda não tem cura e sua origem está relacionada à predisposição genética. Pode ser desencadeado por fatores hormonais e ambientais como exposição ao sol, infecções e alguns tipos de medicamentos.

A doença é diagnosticada com mais frequência em mulheres na faixa entre 20 aos 30 anos e a evolução da indústria farmacêutica tem reduzido os casos de mortes.

 

Campanha por voluntários

Este ano, o Dia Mundial de Conscientização para o Lúpus destacará como o paciente deve lidar com os efeitos na saúde e a necessidade de voluntários para ensaios clínicos de lúpus.

A data é patrocinada pela Federação Mundial do Lúpus, uma ligação global de mais de 200 grupos de doentes com lúpus, que busca aumentar a consciencialização sobre a doença e conseguir fundos mais significativos para a investigação, educação e serviços de apoio para milhões de pessoas em todo o mundo.

Apenas uma medicação desenvolvida unicamente para o lúpus só recebeu aprovação regulatória depois de quase 60 anos. Com mais de 40 terapias potenciais atualmente em desenvolvimento, a necessidade de voluntários com a doença se inscreverem em ensaios clínicos é fundamental, para que exista um arsenal de tratamentos cada vez mais personalizado. O lúpus pode afetar qualquer sistema orgânico e um medicamento adequado para uma manifestação pode não ser adequado para outra.

 

Efeitos da doença

O lúpus geralmente causa importante interferência nas atividades da vida diária. O isolamento e a depressão resultantes do lúpus podem ser devastadores. O impacto emocional do lúpus pode ser tão incapacitante quanto os sintomas físicos. Pessoas com lúpus beneficiam do apoio emocional e da compreensão de amigos e familiares que muitas vezes deixam de valorizar esses sintomas e a sua incapacidade.

Devido às suas diferentes manifestações, as pessoas com a doença precisam de atendimento médico de qualidade beneficiando de um tratamento realizado em clínicas multidisciplinares de lúpus.

Atualmente os doentes com lúpus continuam a não ter qualquer proteção legal para exercer as suas profissões com horários e funções adaptadas, havendo muitas vezes preferência pela baixa, despedimento ou reformas antecipadas em detrimento de um enquadramento adequado