A nomeação de Vivaldo Pinheiro Guimarães Junior, especialista em eventos e ex-secretário parlamentar do Deputado federal Zé Vitor (PL-MG) para o cargo de Coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, gerou insatisfação entre representantes de entidades da Odontologia. 

É a primeira vez que a função será exercida por alguém fora da área de saúde. 

“Sempre convivemos com coordenadores com, pelo menos, formação em Odontologia. Os Conselhos Regionais estão preocupados” – afirmou o presidente do Conselho Federal de Odontologia, Juliano do Valle. 

 “A gente fica muito indignado. Somos 330 mil dentistas no Brasil. Será que não acharam um para o cargo? Fico perplexo”, corrobora o presidente do Conselho Regional de Odontologia do Rio, Altair Andrade.   

A preocupação da classe, que está na linha de frente do combate ao coronavírus, “é com a interrupção de programas como Brasil Sorridente, de referência internacional, e que os rigorosos protocolos para o atendimento odontológico durante a pandemia sejam mudados”. 

“A Odontologia brasileira é a mais respeitada no mundo. Tem uma massa crítica relevante. Como colocar no cargo mais importante da sua gestão um secretário parlamentear, sem histórico qualquer na área? É um desrespeito à população e à classe“, pontuou Isabela Pordeus, presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica.